Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



As eleições alemãs.

Sábado, 14.09.13

 

Por razões profissionais estive na semana passada na Alemanha e pude assistir à campanha eleitoral alemã. Da mesma pude concluir que a aspiração de tantos políticos portugueses de que alguma coisa possa mudar após essas eleições é perfeitamente ridícula. Angela Merkel está de pedra e cal na chancelaria, e não vai alterar um milímetro a política que desenhou para a Europa. Quanto a Peer Steinbrück, já tinha concluido que tinha tantas hipóteses de ser eleito chanceler como o Reichstag de dançar o samba. Mas depois desta entrevista bem pode ir já para casa. Merkel vai ser assim naturalmente reeleita e a única dúvida é se os seus parceiros de coligação, os liberais do FDP, conseguem ou não entrar no parlamento. Mas, com eles ou sem eles, não haverá solução de governo que não tenha Merkel na chancelaria.

 

Verifiquei ainda que o discurso radical contra os países do sul da Europa está a ter grande sucesso na Alemanha. Por todo o lado vi cartazes com frases como esta: "os gregos que paguem sozinhos as suas dívidas". Ou: "os resgates do euro põem em causa as nossas pensões". É espantoso que a opinião pública alemã não se aperceba do que o país já ganhou com a crise do euro. Mas como a política não é racional, é de prever que a prazo termine a paciência dos alemães para continuar a financiar estes resgates.

 

Neste enquadramento, não deixei de achar curioso que Wolfgang Münchau tenha vindo cá sugerir a Portugal que ameace com a saída do euro como estratégia negocial para obter melhores condições para nele permanecer. Acho que se Portugal adoptar essa estratégia o mais provável é do outro lado ouvir: "Excelente ideia! Estávamos mesmo a pensar propor-lhe isso".

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Luís Menezes Leitão às 11:25


1 comentário

De Gil Teixeira a 14.09.2013 às 14:37

A camisa de onze varas.

É caso para dizer que estamos metidos numa camisa de onze varas, o que não será segredo para os responsáveis políticos, e burocratas, portugueses que a fabricaram. Tanta arte, tanta sabedoria, tanto engenho e acabamos a morrer na praia onde há quinhentos anos partimos para outros mundos.

O governo/gestor da insolvência dos portugueses sabe que não não tem ovos, e continua a brincar às omeletas, com as cascas dos reformados.

Entretanto os alemães vão facturando, e veja-se o preço a que eles compram o dinheiro, menos de três vezes o que pagamos pelo vil metal.

A rede da Comissão Europeia e do Banco Central Europeu vai aguentando a corda.

Euro ou não Euro eis a questão?

A decisão cabe aos alemães.

Até lá, vamos vivendo com "planos cautelares(?)", um eufemismo de credor falido que vai pagando a dívida enquanto for suportada pelo empobrecimento dos portugueses.

A História está contada. Admito que Fernando Pessoa, com a sua paranóia do V Império e a mania de trocar de nome como quem muda de camisa pudesse substituir-nos a camisa de onze varas onde estamos metidos por outra sem varas.

Gil Teixeira


Comentar post





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Setembro 2013

D S T Q Q S S
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930

Visitas

free hit counter




comentários recentes

  • Anónimo

    Nem o partido do Valls o quis! E assim que o que r...

  • Anónimo

    Os ultra-nacionalistas espanhóis vão a Barcelona a...

  • Anónimo

    Quando a Espanha anexou Portugal em 1580 também o ...

  • Anónimo

    A UE apoiou o Kosovo quando o Kosovo desrespeitou ...

  • Anónimo

    o anonimo so demostra que nao evoluiu como as pess...

  • Anónimo

    Tudo o que o Governo de Madrid fez até agora está ...

  • Anónimo

    Realmente é uma vergonha que a UE não ajude a Cata...

  • Rodericum

    É incrível que isto se passe em pleno século XXI, ...

  • Anónimo

    Se gostas tanto da Hungria, emigra para lá! Mas ol...

  • Jorge

    Boa noite a tod@s.Fiquei estupefacto com este arti...