Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Os efeitos dramáticos dos cortes salariais.

Quinta-feira, 23.12.10

Esta notícia da tentativa de suicídio em pleno parlamento romeno de Adrian Sobaru, um electricista da televisão, em protesto desesperado contra os cortes de salários aos funcionários e de subsídios aos deficientes, reveste-se de um enorme simbolismo e deveria constituir um exemplo a meditar por todos.

 

Hoje em dia os políticos parecem viver concentrados na abstracção dos cenários macroeconómicos, esquecendo que qualquer medida de austeridade que decretam tem efeitos dramáticos na vida de muitas pessoas. Um exemplo é o do corte de salários, que pode arruinar imediatamente a vida dos que são por ele abrangidos, pondo em causa a sua própria sobrevivência. Chocou-me por esse motivo a insensibilidade com que uma medida desta ordem foi decretada pelo nosso Parlamento e é por isso que louvei a posição de Carlos César, o único político nacional que tentou minimizar os seus efeitos.

 

Há, porém, alguns juristas que defendem que a redução de salários não envolve qualquer lesão da confiança e é perfeitamente compatível com os princípios constitucionais do Estado de Direito. Têm neste caso um bom exemplo prático das consequências dessa doutrina.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Luís Menezes Leitão às 20:49








comentários recentes

  • ANTONIO

    E DIGO SO NESTAS ALTURAS APARECE OS ESPERTOS A FAZ...

  • SerranoOnline

    Começo por aplaudir o post que considero ser dos m...

  • Herói do Mar

    João Ferreira Dias escreveu: "Porque o anterior Pr...

  • Anónimo

    O ministro da Agricultura já Foi Ministro da Mesma...

  • Makiavel

    "E finalmente, fiquei a pensar como foi possível o...

  • HD

    Já nem percebe nada desta parceria conveniente :)

  • Rui Pinto

    Serviços públicos? Li hoje a Lei n.º 42/2012, de 2...

  • zé pagante

    Luís Menezes Leitão, o Papa Francisco pediu amnist...

  • Anónimo

    Acho interessante que esteja toda a gente contra a...

  • Anónimo

    Pois acho que sim. Os muçulmanos, Hindus, Budistas...