Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Como se corta a sério na despesa.

Sexta-feira, 09.09.11

Ao contrário de Vítor Gaspar, que insiste em que os cortes na despesa exigem tempo e por isso só se podem fazer depois de muita calma, estudo e ponderação, Marques Mendes acaba de demonstrar como é possível apresentar em pouquíssimo tempo uma lista séria, ambiciosa e clara de ataque às denominadas gorduras do Estado. Concordo inteiramente com a sua lista de organismos a fundir. Só tenho uma observação a apontar: é que, ao arrumar a lista por ministérios, limita a fusão e extinção de serviços dentro de mesmo ministério, quando existe inúmera duplicação de serviços devido à distribuição das competências por vários ministérios. Dou o exemplo do Instituto Nacional da Construção e do Imobiliário e do Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana, que tratam claramente de assuntos afins, mas estão distribuídos por ministérios diferentes. Em qualquer caso, a lista é um bom contributo para se começar a fazer o que há muito já deveria estar feito. O país que está exangue com os impostos não pode ver adiados os cortes na despesa do Estado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Luís Menezes Leitão às 13:12








comentários recentes

  • ANTONIO

    E DIGO SO NESTAS ALTURAS APARECE OS ESPERTOS A FAZ...

  • SerranoOnline

    Começo por aplaudir o post que considero ser dos m...

  • Herói do Mar

    João Ferreira Dias escreveu: "Porque o anterior Pr...

  • Anónimo

    O ministro da Agricultura já Foi Ministro da Mesma...

  • Makiavel

    "E finalmente, fiquei a pensar como foi possível o...

  • HD

    Já nem percebe nada desta parceria conveniente :)

  • Rui Pinto

    Serviços públicos? Li hoje a Lei n.º 42/2012, de 2...

  • zé pagante

    Luís Menezes Leitão, o Papa Francisco pediu amnist...

  • Anónimo

    Acho interessante que esteja toda a gente contra a...

  • Anónimo

    Pois acho que sim. Os muçulmanos, Hindus, Budistas...