Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A grande ilusão.

Segunda-feira, 26.01.15

Perante a vitória mais que previsível do Syriza, imensos comentadores esforçaram-se por salientar que iria ficar tudo na mesma, com Angela Merkel a continuar a mandar na Grécia e Alexis Tsipras a vergar-se às posições alemães. No fundo é a repetição do velho TINA (There is no alternative) que até na Alemanha levou à criação de um partido radical Alternativ für Deutschland, que defende a saída imediata da Alemanha do euro. Parece-me um colossal erro de perspectiva. Tsipras é ambicioso, tem convicções ideológicas marcadas, tanto assim que até deu ao filho o nome do Che, e não vai querer ficar na história como o Hollande grego. Se seguir um padrão, será o de Lenine, que não hesitou em repudiar os compromissos russos, alegando que o novo estado soviético não tinha que os cumprir. E não me parece que neste momento os gregos encarassem mal uma declaração de bancarrota, pois provavelmente chegaram ao ponto em que acham que nada pode ficar pior do que já está. Os primeiros sinais que chegam, com Tsipras a proclamar que a austeridade acabou, e os eurocratas habituais a dizer que a Grécia tem que cumprir os seus compromissos levam a concluir que a ruptura é inevitável. Desiludam-se assim aqueles que julgam que tudo vai ficar na mesma.

 

Outros julgam, porém, que a bancarrota grega e a saída da Grécia do euro pode até ser positiva para os outros Estados-Membros que já se resguardaram para esta situação. Mais uma grande ilusão. A bancarrota grega terá um impacto mundial tão elevado que fará a queda do Lehman Brothers parecer uma brincadeira. E o resultado, a curto ou a médio prazo, será o descrédito do euro, com muito especulador a apostar qual é o próximo país a sair, com Portugal em excelente lugar na lista de apostas. 

 

Dir-se-á que tudo isto é irracional e que uma negociação séria permitirá limar arestas. Mas a verdade é que o comportamento dos Estados nem sempre é racional. Em 1914 ninguém de bom senso acreditaria que um crime político pudesse arrastar o continente europeu para uma guerra, mas de um momento para outro foi isso o que se passou. Em 2015 corremos o risco de assistir a uma bancarrota grega com ondas de choque inevitáveis em todo o continente. E julgo que agora é tarde para a evitar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Luís Menezes Leitão às 08:13


5 comentários

De aespumadosdias a 26.01.2015 às 22:54

Uma nova era poderá ter começado ontem

De o sátiro a 27.01.2015 às 04:03

AH AH AH

És um totó .

A Grécia está falida, precisa de emprestimos para o POVO NAO MORRER À FOME......e o tsipras vai exigir o q?
Parolo
Ahhh é melhor ir à bancarrota,,,pois
E onde vão comprar medicamentos e pão para sobreviver?'?
TOTÓ
O mais certo é qqer dia as tripas do tsipras espalhadas no meio da rua,,,
TOTÓ

De mikas a 27.01.2015 às 06:30

Tem calma contigo..,vais precisar se a Grécia sair por vontade própria da NATO!

De Teodoro a 27.01.2015 às 10:39

Se só sabes isso, vai morrer longe...

De Anónimo a 27.01.2015 às 10:31

Você acredita mesmo que o que originou a 1ª guerra mundial foi apenas o assassínio de um príncipe? Também pensa que o que originou a 2ª guerra mundial foi a invasão da Polónia? Em relação ao que escreveu uma pergunta: de onde vem o dinheiro que nos emprestam? Quem o põe? É a galinha? Sabe o que é o mundo? Outra pergunta. O seu texto é sobre o quê?
Continuação de um bom dia.

Comentar post





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Janeiro 2015

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Visitas

free hit counter




comentários recentes

  • Anónimo

    Tinha que vir a homofobia.

  • Jorge Mra

    Ele foi 1º ministro numa situação esdrúxula visto ...

  • Anónimo

    Este syntagma é danado. Não gosta do Santana flope...

  • Anónimo

    Esta é a versão portuguesa da lei de Godwin?

  • Anónimo

    Julgávamos que o D Sebastião tinha morrido em Alcá...

  • Anónimo

    O amigo anónimo do syntagma nem faz ideia do que o...

  • Anónimo

    estude anónimoe muito fácil baixar de 11% . É cort...

  • Anónimo

    Discordo em absoluto. Se o meu caro syntagma expli...

  • Jaime Menezes

    Ontem vi e ouvi, uma estranha (ou talvez não) comé...

  • Anónimo

    E pronto, a sua experiência pessoal refuta as expe...