Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A vitória do independentismo catalão.

Quinta-feira, 21.12.17

Não vale a pena dizer que não há razões históricas para a Catalunha ser independente, ou que os catalães são muito bem tratados pelos espanhóis, apesar de terem sido obrigados a travar estas eleições com um líder independentista na prisão e outro no exílio. Se um partido independentista  ganha as eleições, é para executar o seu programa, e o programa é a independência. Numa democracia, a vontade dos eleitores tem que ser respeitada.

 

Rajoy destituiu o governo catalão e convocou eleições, aplicando o art. 155 da Constituição espanhola, convencido de que iria conseguir uma maioria constitucionalista. Não só não a conseguiu, como reduziu o seu partido a cinzas na Catalunha. Antes já era absurdo que um partido com 11 deputados na Catalunha a estivesse a governar. Agora se voltar a aplicar o art. 155 para governar a Catalunha com 4 deputados, será motivo de chacota mundial. Duvido que consiga sobreviver politicamente a este desastre.

 

Quanto a Inês Arrimadas, a nova coqueluche dos espanholistas — de Espanha e não só — conseguiu ficar em primeiro lugar, graças aos despojos do PP e a algum voto útil dos constitucionalistas. Antes tinha 25 deputados, agora passou para 36, mas isso não lhe vai permitir formar governo. Poderá servir para o Ciudadanos tentar uma OPA ao PP em Espanha, mas na Catalunha vai continuar a ser a líder da oposição e nada mais.

 

Quanto ao bloco independentista, mesmo com a prisão e os exílio dos seus líderes, voltou a conseguir a maioria no parlamento catalão e vai formar governo. Se alguém tinha dúvidas sobre o objectivo independentista dos catalães, hoje ficou esclarecido. Como disse Puigdemont a partir de Bruxelas, a República Catalã ganhou à Monarquia Espanhola e ao art. 155. Podem tomar nota.

 

E agora, vai Espanha aceitar democraticamente os votos dos catalães ou quer pôr todos os eleitores independentistas na prisão?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Luís Menezes Leitão às 22:53


11 comentários

De vitor neves a 22.12.2017 às 10:49

...prisão é para quem comete crime. Votar no que seja não é crime...
Estas foram eleições legais e democráticas ao contrário da fantochada pseudo eleitoral anterior. Certo é que nestas eleições não se escolheu entre ser região autónoma integrada no reino de Espanha ou República independente. Se vai nascer um novo país? duvido...

De Anónimo a 23.12.2017 às 19:41

A "fantochada" em que a Guarda Civil agrediu 900 eleitores catalães pelo "crime" de quererem votar? É a isso que te referes, espanholista?

De vitor neves a 23.12.2017 às 20:53

...meu caro anónimo:
Chamar-me "espanholista" sem se identificar é quase tão
fraco e invertebrado como insultar o árbitro no meio da bancada.
A fantochada a que todos assistimos não foi a vontade de votar ou vontade de manifestar; fantochada foi levar a sério uma espécie de eleição sem cadernos eleitorais, sem rigor algum, sem confirmação de identidade, sem supervisão institucional, etc.
Pode dizer aqui quem validou o "resultado" e quem reconheceu a validade desta fantochada a que tantos chamam de confirmação de independência? Onde param os votos de tantos independentistas se compararmos com a eleição desta semana?

De Anónimo a 24.12.2017 às 13:45

Os independentistas ganharam. Está na altura de encarar a realidade: Rajoy não tem qualquer credibilidade e todos aqueles portugueses que lhe prestam vassalagem deveriam ter vergonha.

De vitor neves a 25.12.2017 às 23:10

...os portugueses estão-se a marimbar para o Rajoy e para a independência da catalunha...

De Anónimo a 27.12.2017 às 13:51

Se estão, não deviam. Foi graças à Catalunha que Portugal recuperou a independência em 1640.

De Anónimo a 29.12.2017 às 22:11

...oh pá e o menino jesus não entra?

De Anónimo a 22.12.2017 às 10:56

"Se um partido independentista ganha as eleições, é para executar o seu programa, e o programa é a independência."
Ora cá temos mais uma vitória à monhé, o pulha que ainda nada ganhou.
Eu também estou em 2º lugar lá em casa, mas vou-me associar ao cão, ao gato (que agora têm mais direitos que os humanos) e a alguma ninhada de ratazanas que por lá ande.
Não é que eu queira mandar lá em casa.
O que eu quero, mesmo, é: RATAS AO PODER, JÁ!

De Anónimo a 22.12.2017 às 17:51

Racista. Dois anos depois, a popularidade da geringonça não pára de aumentar. Os cães ladram e a caravana passa.

De Anónimo a 27.12.2017 às 20:14

Parece que a TABARNIA também quer a independência. Tem todo o direito!

De Anónimo a 30.12.2017 às 17:26

A sua mãe também alega querer a independência. Vamos mesmo por aí?

Comentar post





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Dezembro 2017

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31

Visitas

free hit counter




comentários recentes

  • João Marcelino

    Hoje também se pode ler aqui no sapo um comentário...

  • Anónimo

    Correcto e o mesmo se passa com a venda directa do...

  • Anónimo

    A sua mãe também alega querer a independência. Vam...

  • Anónimo

    ...oh pá e o menino jesus não entra?

  • Anónimo

    Parece que a TABARNIA também quer a independência....

  • Anónimo

    Se estão, não deviam. Foi graças à Catalunha que P...

  • vitor neves

    ...os portugueses estão-se a marimbar para o Rajoy...

  • Anónimo

    Os independentistas ganharam. Está na altura de en...

  • vitor neves

    ...meu caro anónimo:Chamar-me "espanholista" sem s...

  • Anónimo

    A "fantochada" em que a Guarda Civil agrediu 900 e...