Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Um caso perdido.

Quarta-feira, 18.03.15

Ao contrário do que sucedia no tempo de António José Seguro, em que era seguro que o PS iria ganhar as próximas eleições legislativas, hoje, com António Costa, todas as apostas são possíveis em relação ao próximo resultado eleitoral. A explicação para isso é simples. Seguro tinha tido o cuidado elementar de romper com o passado de Sócrates, enquanto que Costa assumiu, quando se candidatou,  querer reabilitar esse passado. Foi esse o objectivo principal da sua candidatura, e daí o apoio total dos socráticos do PS, que Costa fez questão de voltar a chamar, mal assumiu o cargo. Hoje parece evidente que a candidatura de Costa no PS era especialmente uma forma de lançar Sócrates para Belém, o que os socráticos sabiam que com Seguro seria completamente impossível.

 

A prisão de Sócrates destruiu essa estratégia e António Costa, embora esteja rodeado de socráticos, fez questão de isolar o PS do processo em que Sócrates estava envolvido. Apesar de se ter declarado amigo de Sócrates, só foi a Évora no último dia do ano e ainda hoje não lá voltou, enquanto que Mário Soares tem lá ido constantemente. O problema é que se Costa não vai a Évora, Évora tem vindo constantemente ter com ele, com as sucessivas comunicações que Sócrates faz sair, uma delas um ataque pessoal duríssimo a Passos Coelho, e que eclipsam completamente as frouxas declarações políticas de Costa. Por outro lado, o facto de o processo de Sócrates estar a decorrer nesta altura e envolver situações relativas ao período em que Sócrates foi primeiro-ministro é completamente mortal para quem queira precisamente elogiar o governo anterior e criticar o governo que se lhe seguiu. Terá sempre a resposta que Passos insinuou quando foi criticado pelas suas falhas na relação com a segurança social.

 

A estratégia de Costa para resposta a este problema complexo foi totalmente infantil. Resolveu atrasar o relógio vinte anos para os eleitores se esquecerem do governo de Sócrates e pensarem que vamos voltar aos governos de Cavaco Silva. Só que Cavaco Silva saiu em 1995, e grande parte dos eleitores, ou não tinha nascido, ou não se lembra nada desse tempo. Por muito que António Costa queira, não é António Guterres a querer substituir Cavaco Silva. É António Costa a querer substituir Passos Coelho, que foi para o governo devido ao desastre que foi o governo de Sócrates, que António Costa defendeu até ao último minuto em que esteve no poder e que queria voltar a defender hoje.

 

A única hipótese de o PS ganhar as eleições era romper com o passado e apresentar um conjunto de rostos completamente desconhecidos do eleitorado. António Costa foi buscar velhos rostos e acha que está a regressar ao combate político de há vinte anos. António Costa é um caso perdido, e vai arrastar o PS com ele. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Luís Menezes Leitão às 07:34


8 comentários

De Teodoro a 18.03.2015 às 11:58

Tanta azia.....o seu partidozeco vai perder e por muitos, mesmo com uma coligação que toda a gente sabe tem dois lideres que não se entendem, são uma vergonha!

De Makiavel a 18.03.2015 às 12:18

O elogio a António José Seguro, vindo de quem defende este governo, só prova que o PS fez bem em mudar de líder.

Reformulo o seu primeiro parágrafo, por corresponder mais à realidade:

Ao contrário do que sucedia no tempo de António José Seguro, em que era seguro que o PS iria perder as próximas eleições legislativas, hoje, com António Costa, todas as apostas são possíveis em relação ao próximo resultado eleitoral.

Quanto ao ataque pessoal que Sócrates fez a Passos Coelho, talvez seja de lembrar as insinuações torpes deste acerca de um assunto que ainda nem acusação teve. Para quem diz prezar a separação de poderes e distinguir o que é da justiça do que é político, usar a situação de Sócrates para o combate político (e para justificar o seu próprio ilícito, esse demonstrado sem sombra de dúvidas) estamos conversados. Mas não é novidade. As campanhas sujas já vêm do tempo de Santana Lopes e mais uma está na calha.

De Porconta a 18.03.2015 às 13:05

Sem o intuito de querer ofender seja quem for, depois de ler o seu blog vejo-me com uma vontade imensa de lhe dizer, SE NÃO FOSSE HIPÓCRITA O GOSTAVA DE SER?

De Corvo Negro a 18.03.2015 às 14:21

Há uma diferença abissal entre o que desejamos que aconteça e o que depois a realidade nos coloca à frente. Espere sentado para assistir ao "trambolhão" do PS com António Costa.

De Maria Mendes a 18.03.2015 às 15:48

Deixem o povinho decidir de quem gosta mais, não vale a pena tanta conversa de treta. O Sócrates é assim, o Costa é assado, isso não vai dar em nada. Por mais que se fale mal do Sócrates quem gosta dele, gosta e acabou. Se eu tiver um amigo que se mete na droga, vou deixar de ser amiga dele? Não, vou tentar ajudá-lo o melhor que puder! Não vejo proveito algum em falar mal do Costa, e quanto ao Passos Coelho acho que toda a gente já sabe o que ele é! Quem vai decidir é o povinho.

De Isabel a 18.03.2015 às 16:03

Fartei-me de rir com o seu post. Muito cómico. Obrigado.
Parabéns pelo destaque no Sapo - é o que temos.

De Cris a 18.03.2015 às 17:18

Pois, a intenção de manter Socrates preso, é sem duvida mais politica do que outra coisa. O que se esqueçem, é que há muita boa gente que se lembra muito bem desses governos cavaquistas, sem qualquer respeito pelos cidadãos, semelhanças com o atual, não é pura coincidiência, dai a protecção do Cavaco, eu sou uma das que se lembra, os que não se lembravam, mandaram-nos emigrar (tiro no pé). Por isso o tiro vai-vos sair pela culatra, e digam as parvoiçes que disseram, em outubro, este governo da caca, JÁ ERA.

De Anónimo a 18.03.2015 às 18:10

Resumindo, eis um simpatizante do ps que vê com apreensão a possibilidade de o seu partido favorito perder as eleições legislativas.

Sugiro-lhe que para acalmar os medos escreva um post sobre direito fiscal, um tema actual, daqueles que anda na berra.

Comentar post








comentários recentes

  • Mª M.

    Mas esta criatura, vai mesmo até ao final do manda...

  • PiErre

    Quase tudo bem, mas, diga-se o que se disser, a Gu...

  • edite

    Acho que vai voltar

  • pvnam

    É um case-study para a história: a forma como as m...

  • castanheira antigo

    Os jornalistas fazem parte do sistema politico cor...

  • José

    É uma opinião que devo respeitar, mas da qual disc...

  • joao

    O que vos dói é serem incompetentes em ter qualida...

  • Ana Correia

    Sinceramente, eu e outras pessoas não compreendemo...

  • Joana Miguel Sousa

    Ridícula é a importância que confere à indumentári...

  • edite

    Também sou da mesma opinião:)