Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A monarquia espanhola.

Terça-feira, 04.08.20

coroac3a7c3a3o-de-juan-carlos-da-espanha-2.jpg

Tenho idade suficiente para me recordar da transição espanhola para a democracia em 1975 e da forma como Franco, profundamente monárquico, conseguiu impor um sucessor oriundo da família real, que pessoalmente preparou para lhe suceder. Na altura ninguém dava nada por esse rei, que na prática usurpava, contra as regras monárquicas, o direito que o seu pai tinha de suceder no trono espanhol. Precisamente por esse motivo, era chamado ironicamente de D. Juan Carlos, o Breve, por se considerar que só tinha chegado ao trono pela mão de Franco, e que a transição democrática acabaria rapidamente por levar Espanha a ser uma república.

Essas previsões saíram furadas, no entanto, no dia 23 de Fevereiro de 1981, quando o Tenente-Coronel Tejero Molina à frente de um grupo de soldados invadiu o Parlamento, na data da tomada de posse do novo Governo, sequestrando ao mesmo tempo os governantes em funções e os que iriam ser empossados, gerando assim um vácuo governativo. Nessa altura, assisti em directo ao Rei a falar pela televisão, dizendo que tinha dado ordens aos Secretários e Subsecretários de Estado para assumirem o Governo e que tinha mandado o Exército combater os revoltosos. E na verdade tinha telefonado a todas as divisões do Exército para saber de que lado estavam, conseguindo os apoios necessários para parar o golpe de Estado.

Só que essa intervenção de Juan Carlos só foi possível devido à preparação que Franco lhe deu, pondo-o em contacto com os militares. Um Rei habitualmente não consegue parar um golpe de Estado, só lhe restando rezar para que os revoltosos não queiram terminar com a monarquia. Em Portugal, o Rei D. Luís foi incapaz de se opor aos sucessivos golpes de Estado do Marechal Saldanha, tendo imediatamente aceitado o governo que ele lhe propunha. A Rainha D. Maria Pia ficou tão espantada com a passividade do marido que disse na cara a Saldanha, que se ela fosse o Rei, mandá-lo-ia fuzilar imediatamente na praça pública, o que Saldanha educadamente retribuiu com uma vénia. Mas Juan Carlos era um Rei diferente dos outros, e podia combater uma revolta franquista, tendo por isso adquirido uma legitimidade especial em Espanha. Os espanhóis continuaram por isso a ser republicanos, mas transformaram-se em "juancarlistas".

Juan Carlos ficou por isso na história de Espanha, mas agora está a sair pela porta baixa. Efectuou uma estúpida caçada aos elefantes, numa época de crise financeira profunda, deixou que os escândalos atingissem a sua família e a si próprio, e depois abdicou no filho, adquirindo um estranho estatuto de "Rei emérito", quando o Rei é apenas um. Por sua vez o filho abandonou-o, chegando ao ponto de abdicar da herança do Pai, como se a sua legitimidade monárquica não residisse precisamente nessa herança.

Agora, o "Rei emérito" parte para o exílio, seguindo o exemplo de tantos outros Reis na era moderna, como o nosso D. Manuel II. Só que, como na altura lhe disse a Rainha D. Amélia, "do exílio não se regressa". Mais valia terem seguido o conselho que a Imperatriz Teodora, mulher do Imperador Justiniano, deu ao marido quando este também pretendeu fugir perante uma revolta, no seu longo reinado: "A púrpura (o manto dos imperadores) é uma linda mortalha". Já não se fazem monarcas como antigamente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Luís Menezes Leitão às 09:15


2 comentários

De Nino Alves a 05.08.2020 às 09:24

Juan Carlos é a prova, provada, que a idade não trás nenhum beneficio...

De Anónimo a 05.08.2020 às 13:18

Se me permite, a história verdadeira do 23 de Fevereiro não é a que contou e tem sido divulgada como o relato certo dos acontecimentos. Nunca é, como sabemos. O que se passa na realidade é sempre distorcido de acordo com as conveniências de quem conta. E no caso, a figura do Rei teve de ser salva ou recuperada, depois de o terem envolvido num golpe palaciano. O Rei foi usado. De igual modo que o 25 de Novembro em Portugal, este muito bem planeado e bem sucedido (que se antecipou ao verdadeiro golpe da Direita que se começava a desenhar no horizonte, dando eles próprios um golpe de direita e queimando no processo o pateta do Otelo e a sua extrema esquerda), em Espanha, pretendeu lançar-se a Direita para a rua, aliciando-a com um hipotético chamamento do Rei (que teria existido de facto, mas de forma controlada pelo Tenente General Armada, seu tutor e maior conselheiro) e, quando o Tenente Coronel Tejero Molina descobriu a tramóia (porque o Armada preparava-se para anunciar ao País uma declaração do Rei a anunciar um governo que era uma repetição mais do mesmo), é que sim, houve um problema sério. Que só terminou quando o Rei deu ordens directas ao Gen. Milans del Bosch para regressar aos quartéis, para segurar o Tejero Molina e pedir-lhes o sacrifício de irem para a prisão para defenderem o Rei. O que eles fizeram, tendo merecido na prisão um tratamento de príncipes. Nem um nem outro, homens de honra, alguma vez, denunciou a situação que os colocou nessa posição, para não atingirem o Rei, mas o Armada foi ostracizado por todos os seus camaradas de armas, pelo jogo político em que deixou envolver Juan Carlos.

Comentar post





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Agosto 2020

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031




comentários recentes

  • João Marcelino

    Numa competição, ha sempre quem seja tentado a jog...

  • Anónimo

    Um post informativo e honesto, desde a primeira pa...

  • Anónimo

    Contráriamente a Portugal e outros países coloniza...

  • Joao Miguel Guterres

    A vacina russa pode ter algum êxito, mas vai permi...

  • Anónimo

    Se me permite, a história verdadeira do 23 de Feve...

  • Nino Alves

    Juan Carlos é a prova, provada, que a idade não tr...

  • João Gil

    Infelizmente. Um país fantástico, com um povo aces...

  • cris

    Bole posts meus parabéns. ;) Carimbó da Sorte (htt...

  • Anónimo

    Dias antes de ele falecer, faleceu uma amiga que a...

  • simplesmente...

    Distraído como sempre fui, ainda não li nenhum dos...